Planejar um casamento é um projeto cheio de desafios! E nossa blogueira compartilha os desafios dela com vocês, na coluna "Chegou a minha vez"! Venha ler ;)

Chegou a minha vez: como planejar um casamento

“Chegou a minha vez” é a mais nova coluna do CasarCasar, na qual nossa blogueira conta como planejar um casamento. Aprenda como planejar um casamento acompanhando o planejamento de um casamento real! 😉

Se você já é leitora assídua do CasarCasar, já está familiarizada com meu trabalho. Meu nome é Analuísa Bessa – oi! – e sou blogueira do CasarCasar há mais de 1 ano. Nesse ano que se passou, fui muito feliz escrevendo pra vocês, porque é um verdadeiro prazer a gente trabalhar com o que gosta. E eu sempre amei casamentos! Como já sabia que minha hora estava pra chegar, nada melhor do que unir o útil ao agradável: eu sigo dezenas de bloggers do mundo todo para ficar por dentro das últimas tendências e aproveito para compartilhar com vocês as últimas modas de casamento.

Planejar um casamento é um projeto cheio de desafios! E nossa blogueira compartilha os desafios dela com vocês, na coluna "Chegou a minha vez"! Venha ler ;)

Planejar um casamento é um projeto cheio de desafios!

E, agora, chegou a minha vez! Finalmente, vou colocar a mão na massa e planejar um casamento real: o meu! 😉 E vocês vão poder acompanhar minha trajetória e aprender, junto comigo, como planejar um casamento. Imagino que vai ser uma experiência divertida, estressante e engraçada, cheia de surpresas. Afinal, uma coisa é resumir as tendências para 2015 aqui no blog, deixando a parte mais difícil pra vocês: a escolha. Outra coisa vai ser eu mesma ter que contratar montes de fornecedores, pagar por inúmeros serviços, escolher entre banda ou DJ (a dúvida do século!) e decidir quais flores quero em meu bouquet de noiva… Vou aprender, junto com vocês, como planejar um casamento! Será um prazer ter vocês do meu lado durante esta fase – e aproveitem a seção de comentários de nossos posts para deixar suas opiniões e me ajudar nas decisões super difíceis que terei que tomar! 😛

Uma decisão influencia outra: se eu sei a flor que quero, tenho que escolher os meses em que ela é vendida. Acompanhe os desafios de um casamento real na coluna "Chegou a minha vez"!

Uma decisão influencia outra: se eu sei a flor que quero, tenho que escolher os meses em que ela é vendida.

Aprender como planejar um casamento é mais fácil do que parece. O problema é que a gente, normalmente, só passa por isso uma vez e a primeira vez, em qualquer coisa, sempre parece um bicho de sete cabeças. Já ouvi falar de inúmeras cerimonialistas que planejaram seu próprio casamento, se apaixonaram pelo trabalho e pelo prazer de fazer isso e resolveram transformar em profissão. Se fosse tão difícil, elas não teriam decidido repetir isso várias vezes ao ano, certo? 😉 Isso me serve de consolo, toda vez que penso nos desafios que terei que encarar até meu grande dia chegar.

Chegou a minha vez: como planejar um casamento

Comecei, neste mês de dezembro, as primeiras reflexões sobre como planejar um casamento. Já tinha noção do tamanho da lista de convidados que queria e sempre tive uma paixão enorme pelo estilo de decoração boho, então sinto que essas duas decisões meu coração já tomou por mim. No entanto, não sabia por onde começar para aprender como planejar um casamento.

Achei melhor começar a ligar para algumas casas de festa e solicitar orçamentos. Sempre me deparava com a mesma pergunta: “qual será a data do seu casamento?”. Eu dizia: “ainda não tenho data”, a que me respondiam, “a data vai impactar o preço, senhora. O ideal é a senhora ter uma noção de data”. Resolvi que casar em setembro parecia uma boa, porque ainda teria uns 9 meses para planejar tudo e me parecia de bom tamanho. Então, comecei a responder que queria casar em setembro, num sábado.

Aí, comecei a ouvir “ah, todos os nossos sábados já estão cheios. Nossas sextas também. Você pode casar no domingo? Ou na quinta-feira?”. Algumas casas de festa chegavam a dizer “nosso setembro já está lotado. Que tal casar em fevereiro?”. Porque Fevereiro e Setembro são meses vizinhos, né?! Do ponto de vista comercial, entendia o lado das casas de festa. É interessante pra elas sugerir os meses mais vazios e fica até legal para conseguir descontos e coisas do gênero, mas estava ficando chato não conseguir orçamentos para a data que eu queria. Então, tomei uma decisão revolucionária: “desapeguei” da data.

"Se eu tenho 10 meses pra planejar meu grande dia, tenho 10 meses pra chegar ao corpo perfeito. Se eu pretendo casar uma vez só nessa vida, vou olhar as fotos e vídeos deste dia para sempre - e é bom eu não passar o resto da vida pensando 'ai, como eu estava gorda!'" Mais reflexões sobre um casamento real na coluna "Chegou a minha vez".

Se eu tenho 10 meses pra planejar meu grande dia, tenho 10 meses pra chegar ao corpo perfeito. Se eu pretendo casar uma vez só nessa vida, vou olhar as fotos e vídeos deste dia para sempre – e é bom eu não passar o resto da vida pensando “ai, como eu estava gorda!”

Comecei a pedir orçamentos assim: “não tenho data, então, sinta-se à vontade para me sugerir seus meses mais vazios ou com promoções”. Pronto, descobri a pólvora! As casas de festa começaram a me dar orçamentos para meses super distintos, dos quais Janeiro e Agosto pareceram se destacar. Pelo visto, casar em Janeiro é pedir para um casamento cheio de ausências e casar em Agosto é querer “desgosto”. Sorte da blogueira é que eu não sou supersticiosa e, pra casar dentro do meu orçamento, vale tudo 😛

Então, decidi casar em um mês mais polêmico mesmo, como Janeiro ou Agosto, para conseguir preços melhores. Isso vai me permitir ter mais orçamento para os serviços mais caros, como foto e filme, e que marcam seu grande dia pro resto da vida. Mesmo não sendo supersticiosa… Será que eu vou me arrepender da escolha?

Continuem lendo a coluna “Chegou a minha vez” para descobrir! 😉

Imagens cortesia de: Our Labor Of LoveMelissa FullerDorian Caster

< !DOCTYPE html>
2 respostas
  1. Josana
    Josana says:

    Olá Ana Luisa, tudo bem?

    Decidir a data realmente é muito difícil, estou planejando o meu casamento também, faltam 332 dias, rsrs , meus dilemas foram :
    – Tenho pra lembrar o dia do primeiro beijo, dia que meu noivo foi em casa me pedir em namoro aos meus pais, dia que recebi a aliança “oficial”, dia do noivado, enfim…além dos nossos aniversários …porque não escolher uma destas datas que já são especiais? Aí não tenho o risco de esquecer ou passar em branco!!

    mas não deu certo…tive que levar em consideração um fator importante – Férias_ Tenho recesso do trabalho em julho e uma parte em Dezembro e Janeiro, férias imutáveis…

    Por isso me organizei em escolher dentro desse período, mas o que determinou a minha data foi a contratação do Buffet e data disponível na igreja, conseguir conciliar os dois com meu desejo não foi fácil, mas em algum momento temos que bater o martelo, e depois esse dia começa a fazer parte da sua vida!
    obs: Meu noivo concordou com tudo, pois ele pode tirar as férias com mais flexibilidade…rsrsrs

    05/12/2015…esta data não posso ficar esperando chegar, irei a cada dia me organizar e planejar tudo o que falta..

    Feliz ano novo pra todas.

    Responder
    • analuisa
      analuisa says:

      Oi, Josana! Tudo bom, e vc? Arrasou na definição da data. É realmente complicado escolher o dia com base apenas no que a gente quer, né? Acabamos precisando levar outras coisas em conta. Eu e meu noivo acabamos de fechar a data e nos pautamos pelos melhores preços da casa de festa, porque não temos muita preferência de Igreja, nem buffet. Muito obrigada por deixar aqui seu depoimento e continue lendo nossos artigos! Adoramos interagir com as leitoras 😉 Beijo grande e, precisando de ajuda, conte com a gente! Analu

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *